Fungicida sistêmico e protetor com multissítio previne a mancha de ramulária no algodoeiro

Atualizado: 1 de ago.

Uma doença que encontra ambiente favorável para se desenvolver em condições de alta umidade, como é comum no cerrado brasileiro, onde se concentra mais de 90% da produção nacional de algodão, a mancha de ramulária (Ramularia areola) exige atenção do produtor. De acordo com a área técnica da Sipcam Nichino Brasil, a companhia, safra após safra da pluma, tem obtido bons resultados de controle da mancha de ramulária com aplicações programadas de um fungicida sistêmico e protetor com multissítio.

Segundo a empresa, essa solução, com a marca Fezan Gold, constitui uma das poucas disponíveis no mercado, nos dias de hoje, a contar com essas características. “Tratamentos com Fezan Gold entregam ao produtor taxas elevadas de controle da mancha de ramulária, além de contribuir para ganhos de produtividade”, resume José de Freitas, da área de desenvolvimento de mercado da Sipcam Nichino.

A companhia, de origem ítalo-japonesa, recomenda ao produtor iniciar as aplicações, preventivamente, trinta dias após a emergência e-ou no início do estágio reprodutivo da cultura (B1), com o aparecimento do primeiro botão floral - ou quando houver condições favoráveis ao desenvolvimento da doença.

Para a empresa, outra medida que não deve ser deixada de lado pelo cotonicultor é o chamado manejo anti-resistência da mancha-de-ramulária a fungicidas. Para isso, enfatiza a companhia, é importante que os tratamentos envolvam a rotação entre fungicidas com diferentes modos de ação, como os que contêm multissítios como o próprio Fezan Gold.

Para mais detalhes, acesse o link: https://revistacultivar.com.br/noticias/fungicida-sistemico-e-protetor-com-multissitio-previne-a-mancha-de-ramularia-no-algodoeiro

Posts recentes

Ver tudo